Curiosidade Master

A curiosidade é um impulso para aprender.
Mona Lisa afogada – História, inspirações e como salvou pessoas

Mona Lisa afogada é como ficou conhecida uma máscara mortuária de uma bela jovem que se afogou no Rio Sena. Ela foi encontrada sem documentos, portanto, sua identidade era desconhecida. Por isso, foi chamada de L’Inconnue de la Seine, ou a Desconhecida do Sena.

Como não havia ferimentos no seu corpo, a polícia local supôs se tratar de um suicídio. Mas o que mais chamava a atenção, era a serenidade e a beleza do rosto de L´Inconnue.

Quando o patologista recebeu o seu corpo, ficou tão encantado com sua beleza, que resolveu pedir a um preparador de moldes (mouleur) que fizesse uma máscara mortuária de gesso de seu rosto. Mas o patologista não fazia ideia de quão famosa essa máscara se tornaria, sendo reproduzida em massa e vendida como item decorativo.

L´Inconnue serviu como inspiração à grandes artistas, e graças ao enigmático meio sorriso que trazia nos lábios, foi apelidada de Mona Lisa afogada.

Origem da Mona Lisa afogada

Imagem: Brasil mergulho

L´Inconnue ou a Mona Lisa afogada, possui uma história bem interessante. No final do século 19, no Rio Sena, em Paris, o corpo de uma bela jovem, aparentando ter 16 anos, foi encontrado.

Em seu corpo não havia nenhum tipo de ferimento, portanto, foi determinado que se tratava de um caso de suicídio. O corpo foi encaminhado ao necrotério, e como era costume da época, ficou exposto durante um tempo para que pudesse ser reconhecido por algum parente.

Porém, não foi o que aconteceu e ninguém apareceu para identifica-la. Por isso, sua identidade e causa da morte são discutidos até os dias de hoje.

Enquanto preparava o corpo, o patologista ficou impressionado com a beleza de L´Inconnue. Assim, pediu ao preparador de moldes que fizesse uma máscara mortuária de gesso de seu rosto.

Na época, era comum fazer máscaras de gesso de pessoas mortas. Mas, o que o patologista não imaginava é o quanto a máscara ficaria famosa, e seria vendida como item de decoração, mesmo tantos anos depois.

Mona Lisa afogada como inspiração para artistas

Imagem: Twitter

Após a criação da máscara de gesso de L´Inconnue, seu sucesso foi tão grande que ela passou a ser reproduzida em massa. Afinal, todos queriam uma para decorar suas casas, o sucesso primeiro em Paris, depois ganhou o mundo. Mas o sucesso não parou por aí.

L´Inconnue serviu de inspirações para grandes artistas da época como, o pintor Pablo Picasso, o fotógrafo e pintor Man Ray, os poetas Rainer Maria Rilke e Louis Aragon, e o escritor Vladimir Nabokov.

O apelido de Mona Lisa afogada foi dado pelo filósofo e autor Albert Camus, que a tinha pendurada na parede de seu estúdio. A Mona Lisa afogada ainda serviu como inspiração para alguns filmes de François Truffaut e novelas de Richard le Gallienne.

O rosto da Mona Lisa afogada tem uma expressão serena, a pele é lisa, e suas bochechas são redondas e cheias. Além de possuir uma beleza que foge do clássico, ela atrai a atenção de todos que olham para a máscara.

No entanto, seu meio-sorriso é o que mais chama atenção, pois ela parece feliz em sua morte ou, o mais espantoso, parece estar apenas adormecida.

L´Inconnue como item clássico de decoração

Imagem: BBC

Houve uma época em que a decoração de uma casa em Paris não estava completa se não tivesse uma máscara ou um busto de gesso de L´Inconnue.

O item clássico de decoração é produzido por uma oficina fundada em 1871, localizada no subúrbio de Arcueil, sul de Paris. A oficina L’Atelier Lorenzi, é administrada por Laurent Lorenzi Forestier e sua família, que diz ter em mãos a máscara de L´Inconnue original. E que essa máscara teria sido feita por um de seus ancestrais.

Na oficina, são reproduzidas cópias perfeitas de gesso feitas à mão de estatuetas, bustos e máscaras, atividade que desempenha há quatro gerações. No entanto, é a Mona Lisa afogada o trabalho mais conhecido deles, que fascina e encanta tanto os parisienses quanto os turistas.

Morta ou viva?

Imagem: Lounge

Muito se discute a respeito da perfeição dos traços da máscara de L´Inconnue. De acordo com a polícia do Rio Sena, a Brigada Fluvial, a jovem não estava morta quanto à máscara foi produzida. Ou seja, acreditam que uma modelo viva pousou para a confecção da máscara de gesso.

Segundo o chefe da brigada Pascal Jacquin, especialista em recuperar corpos afogados no rio Sena, os corpos encontramos afogados ou que cometeram suicídio, estão inchados. E não têm uma aparência muito boa.

Por isso, acha tão surpreendente o rosto tão belo e sereno de L´Inconnue, levando em conta que o processo de decomposição acontece mais rapidamente dentro da água.

Apesar de que, no caso de uma modelo viva, é bem difícil manter uma expressão serena e o sorriso durante toda a produção de uma máscara de gesso.

O que volta a discussão, se ela estava morta e a máscara foi retocada para ficar com a expressão perfeita. Ou se era uma modelo profissional, muito boa em manter a expressão do rosto por muito tempo.

L´Inconnue, Mona Lisa afogada e Resusci Anne salvando pessoas

Imagem: Blog Jane entrelinhas

O fabricante de brinquedos Asmund Laerdal, era especializado na fabricação de bonecas de plásticos moles, uma invenção nova da época.

Assim, foi convidado pelo médico austríaco Peter Safar a fazer parte de um projeto que era fazer um boneco para ajudar na aplicação de RCP. Que era uma nova técnica que combinava compressões torácicas à respiração boca-a-boca, e o seu objetivo era salvar a vida de um paciente cujo coração parou ou de afogamento.

Como Laerdal havia salvado seu filho de se afogar, alguns anos antes, em 1955, ele se interessou pela ideia. Portanto, criou uma boneca em tamanho real, com o tórax flexível e a boca aberta, cujo nome era Anne.

Para o rosto da boneca, Laerdal se inspirou no rosto de uma máscara que tinha visto pendurada na casa de seus avós. A máscara era da desconhecida do Sena. E o modelo Resusci Anne é um dos mais usados para RCP até hoje.

Portanto, nos últimos anos, milhares de estudantes de primeiros socorros vêm usando a Mona Lisa afogada para aprender a técnica de RCP. O que tornou L´Inconnue a mulher mais lembrada beijada do mundo, mesmo após sua morte.

Mistério envolvendo a identidade da desconhecida do Sena

Imagem: Mega Curioso

Uma das histórias envolvendo a possível identidade da desconhecida do Sena é a de um artista John Goto de Oxford. De acordo com John Goto, após seguir algumas pistas, teria encontrado evidências que a identidade de L´Inconnue seria a de uma atriz húngara.

Seu nome era Ewa Lazlo, que havia sido assassinada por seu amante, Louis Argon.

Assim, a história foi se espalhando e ganhando grandes proporções, e todos começaram a acreditar que Ewa era realmente a desconhecida do Sena. Então, John Goto assume que sua história era na verdade uma ficção, inclusive, revela ter ficado espantado por todos terem acreditado em sua versão.

Portanto, a identidade de L´Inconnue segue sendo um mistério. Mas, provavelmente seja justamente essas incertezas e enigmas, que envolvem sua origem, que fazem com que ela seja tão apreciada até hoje.  Afinal, a partir do momento que for dado um nome e uma real história sobre a máscara de gesso com o sorriso de Mona Lisa, o mistério irá acabar.

 

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.